NOTÍCIAS

Alunos de Medicina Veterinária participam de palestra com auditores fiscais do Ministério da Agricultura

02 de Junho de 2020 07:00

Acadêmicos do 9º semestre do curso de Medicina Veterinária da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) participam de três palestras on-line com auditores fiscais federais agropecuários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de Mato Grosso do Sul. Antônio Belarmino Machado Júnior e Jamil Manoel Leal Filho foram convidados para falar sobre os programas voltados para a sanidade animal.

O primeiro assunto em pauta foi o “Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose”. Jamil abordou o tema na segunda-feira (1º) e trouxe o regulamento técnico previsto pelo programa para reduzir a prevalência e a incidência dessas doenças em bovinos e bubalinos, com a proposta de erradicá-las. Dentre as ações, estão as medidas sanitárias compulsórias, como a vacinação de bezerras entre os 3 e 8 meses de idade contra brucelose e o controle de trânsito dos animais. Também há estratégias de adesão voluntária como a certificação de propriedades livres de brucelose ou de tuberculose.

Na próxima segunda-feira (8), há outra aula prevista com a participação de Jamil. Às 15h, ele conversa com os acadêmicos sobre o “Programa Nacional de Sanidade Suídea”. Já na quarta-feira (10), Antônio vai conversar com os alunos sobre o Programa Nacional Sanidade Equídea, às 13h30.

As aulas com os auditores fiscais federais agropecuários fazem parte da disciplina “Ética e Legislação”, ministrada pela professora Magyda Arabia Araji Dahroug Moussa. De acordo com a docente, os programas do Mapa incluem uma série de orientações que norteiam desde o produtor rural até os médicos veterinários que atuam no campo, com a proposta de garantir a sanidade animal, promover a saúde pública e assegurar a qualidade da carne que vai para a mesa do consumidor. Por isso, é importante que os acadêmicos tenham contato com esse conteúdo ainda na graduação.

“Todos os programas estão dentro de um manual de legislação, então, é como se fosse uma receita de bolo que todos os médicos veterinários devem seguir para manter um padrão de controle dessas doenças. Eles estabelecem o que é a patologia, como diagnosticá-la, o que fazer em caso de surto e quais são as medidas de contingência, por exemplo. São orientações para o profissional que cuida e trata dos animais. É muito importante que o acadêmico conheça os programas, ainda na graduação, para que ele faça parte de um grupo de profissionais que contribua para que o Brasil continue sendo um dos principais exportadores de carnes. Sem contar que o conhecimento sobre os programas sanitários é cobrado em concurso público, e ao ter contato com esse o conteúdo no nono semestre, o aluno já sai com uma base, caso queira fazer as provas após se formar”, ressaltou Magyda.

MAIS NOTÍCIAS