NOTÍCIAS

Dom Martinez foi um dos idealizadores da UCDB

23 de Abril de 2021 08:30

 

Ao realizar sua passagem, na quarta-feira (21), Dom Segismundo Martinez fez rememorar lembranças em muitas pessoas ligadas à Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Muito querido em todas as casas pelas quais passou, o salesiano imprimiu seu carisma e sua competência no trabalho desenvolvido. Com participação importante no processo de transformação da então Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (Fucmt) em UCDB e na construção do campus Tamandaré, sua presença foi destacada por muitos que conviveram com ele em Campo Grande.

O Reitor da UCDB, Pe. José Marinoni, destacou a participação de Dom Martinez na Instituição e em sua vida. “Lamento profundamente o falecimento do querido Dom Martinez. Ele foi para mim um irmão, um amigo e um companheiro fiel. Juntos enfrentamos o desafio da transformação da Fucmt em UCDB e juntos iniciamos a construção do novo campus. Foi um salesiano fiel à sua vocação e um religioso exemplar. Profissional competente e qualificado. Sempre confiei nele e sempre encontrei nele correspondência total. Foi para mim mais do que um amigo; posso afirmar que encontrei nele um irmão com o qual partilhei alegrias e tristezas, conquistas e derrotas sempre para o bem da comunidade acadêmica e da querida UCDB que tanto amava. Que Deus lhe conceda o merecido descanso e Nossa Senhora Auxiliadora o acolha carinhosamente”.

A diretora financeira da UCDB, Valquíria Veiga Tessari, relembra da presença de Pe. Martinez — como todos o chamavam à época — no início de sua carreira. “Meu primeiro contato com ele foi em 1989. Eu entrei como secretária e Pe. Martinez era diretor administrativo (ecônomo) da Fucmt. Eu fazia Ciências Econômicas e, na primeira oportunidade, me chamou para ocupar o cargo de encarregada de Tesouraria e passamos a trabalhar juntos no projeto de construção da futura UCDB. Trabalhei na parte de custos e orçamento e ele, como era muito participativo, levava a equipe para ver as obras. Era um sonho que ele realizava e estava muito envolvido e ficava feliz em compartilhar”, destacou. “O que me chamava a atenção é que ele era muito sensato, muito racional e aprendemos muito com ele. Era justo e coerente com as decisões. Foi uma pessoa exemplar, um empreendedor, que sempre esteve à frente de seu tempo. E, ao mesmo tempo, era muito bondoso. Não há situação que ele não tenha me amparado. Me ajudou a cursar o Mestrado e, assim como a mim, ele ajudou muitas pessoas. Foi um marco na minha vida e uma referência. Só guardo boas lembranças”.

A professora Dolores Pereira Ribeiro Coutinho é outra colaboradora que recorda com emoção a amizade com Dom Martinez. “No ano de 1989, passei num processo seletivo para Mestrado na PUC de são Paulo e Pe. Ángel Sánchez me disse que a Instituição tinha uma bolsa sobressalente. Naquela época, a Fucmt recebia os valores da Capes e depois repassava aos pós-graduandos. Aí começou minha história com Pe. Martinez. Durante o período do afastamento para o Mestrado, a Capes começou a atrasar os repasses. Pe. Martinez decidiu que se nós estávamos nos qualificando para o bem da Instituição, não seria justo termos dificuldades no local onde estávamos e então ele determinou que, independente do governo, nós recebêssemos, junto com o salário, o valor da bolsa de estudos. Nesse momento, eu já compreendi a sensibilidade e a visão de futuro institucional que o Pe. Martinez tinha. Um ótimo administrado, gestor e ciente de que não estava apenas sendo humano, mas também investindo para que a UCDB se tornasse uma instituição real — naquele momento estava sendo construído o projeto de universidade. Sua presença era constante no campus, cuidando pessoalmente inclusive dos jardins, aos sábados à tarde. Sempre tinha uma palavra de carinho, de acolhimento e estava sempre mexendo com alguma planta. Essa semana que ele estava mais grave, várias vezes, eu rezei e pedi que a vontade de Deus fosse feita e que ele não sofresse. Porque um pastor, um administrador, um homem de bem e um jardineiro de dedo verde merece descansar quando sua hora chegar. Sentiremos muita saudade de Dom Martinez”.

As palavras de carinho pelo sacerdote encheram as redes sociais. Todos exaltando o bispo emérito de Corumbá por suas atitudes e personalidade. “Gratidão... As pessoas especiais nunca vão embora totalmente, sempre deixam marcas eternas em nossos corações. Dom Martinez é uma delas, pessoa extraordinária, sábia e de poucas palavras que eu admirava muito pela presteza. Foi muito importante pra mim em um momento crucial da minha vida. Gratidão e que descanse em paz”, disse a colaboradora Iara Santos Dantas Costa, que trabalhou com o salesiano na Fucmt.

A chefe de gabinete da Reitoria, Janete Lara Silva, também registrou sua admiração e respeito: “Dom Martínez nos deixou, cumpriu a sua missão aqui na terra e foi para a morada do Pai, mas deixará muitas saudades e lembranças por onde passou, seja como administrador e ecônomo nas casas salesiana onde trabalhou (Colégio Dom Bosco/Fucmt, UCDB, Missão Salesiana, Colégio Santa Teresa, e ainda nas comunidades atuando como sacerdote e depois bispo da Diocese de Corumbá). Viveu uma vida consagrada a Deus, um verdadeiro e grande pastor, e por onde passou deixou muitos amigos e boas lembranças que ficarão guardadas em nossa memória. Que Deus em sua infinita misericórdia o receba em seus braços, e que a luz perpétua o ilumine. Descanse em paz Dom Martínez!”.

Incentivador dos estudos, o sacerdote tocou a vida de muitas pessoas com suas orientações. Para o professor Roberto Figueiredo, o salesiano ajudou em sua carreira. “Foi extremamente importante como administrador da Fucmat e na transição para UCDB. Mas creio que o destaque maior foi como pessoa: nos acolhia com um verdadeiro espírito salesiano e encontrar com ele pelos corredores era sempre uma alegria. Minha pós-graduação sobre pedagogia salesiana eu devo a ele, que me incentivou fazer este curso na PUC de Porto Alegre”.

Dom Martinez foi sepultado ontem, em Corumbá. Ele tinha 78 anos e faleceu por complicações causadas pela Covid. Nascido em Acebes del Páramo (Leon), na Espanha, fez os primeiros votos religiosos na Congregação Salesiana em 16 de agosto de 1961 e foi ordenado sacerdote em 2 de julho de 1972. Era graduado em filosofia, teologia, ciências contábeis, ciências sociais e pós-graduado em Administração Financeira. Foi sagrado bispo em 30 de janeiro de 2005, tendo sido nomeado para a diocese de Corumbá, onde tomou posse em 19 de março de 2005. Dom Martinez exerceu o episcopado em Corumbá por 14 anos e renunciou em 2018 por ter completado 75 anos, quando a renúncia é obrigatória. Seu lema episcopal era “Dives in Misericordia”, que significa “Rico em Misericórdia”.

 

MAIS NOTÍCIAS