NOTÍCIAS

Doutorando pesquisa uso de plantas medicinais em comunidade indígena de Ji-Paraná

03 de Junho de 2020 09:00

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biotecnologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) realizou nesta terça-feira (2), por meio de videoconferência, a banca de defesa de tese do doutorando Alexandre Zandonadi Meneguelli, com o tema “Utilização de plantas na medicina tradicional: Etnofarmacologia da Etnia Ikólóéhj na Aldeia Cacoal, Ji-Paraná – Rondônia e Investigação das Propriedades Farmacológicas da Eleutherine plicata Amazoniense”. A pesquisa em terra indígena, primeira do Estado de Rondônia, contou com orientação da professora Dra. Susana Elisa Moreno, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia. e coorientação do Dr. Ely Eduardo Saranz Camargo (Faculdade Panamericana de Ji-Paraná).

“O objetivo da pesquisa foi compreender a utilização de plantas medicinais utilizadas pela comunidade indígena da aldeia Cacoal, etnia Ikólóéhj e realizar estudos biológicos da espécie vegetal  Eleutherine plicata., explica o doutorando, Alexandre Zandonadi Meneguelli.

Ele conta que foi possível identificar 26 espécies botânicas com indicação medicinal pela comunidade indígena Cacoal de Ji-Paraná (RO). “Através da pesquisa também foi possível descrever a ocorrência de cinco espécies vegetais para  o Estado de Rondônia. Além dos estudos biológicos e farmacológicos realizados com a espécie Eleutherine plicata demonstrando a presença de taninos, Antraquinona e glicosídeos, Flavonóides e glicosídeos. Quando realizado estudos para células anti-tumorais constatou-se que ocorreu a redução da viabilidade celular através dos extratos metanólico  e hexânico  da Eleutherine plicata”, ressalta.

Através do estudo etnoformacológico realizado na aldeia foi possível constatar que os moradores fazem uso das plantas medicinais há anos. “Assim como quando realizados estudos biológicos com a espécie Eleutherine plicata para comparação dos dados experimentais com a indicação popular a mesma demonstrou indicativos farmacognósticos que podem ser viáveis para novos estudos com células tumorais. Também os ensaios para citotoxidade em ambos os extratos mostraram uma redução na viabilidade celular bastante evidente em algumas concentrações.

Além da orientadora, a banca é composta pelos professores Dr. Reginaldo de Oliveira Nunes (Universidade Federal de Rondônia) e Dra. Ana Paula de Araújo Boleti (UCDB). A pesquisa para ser realizada em terra indígena atendeu a instrução normativa nº 001/PRES/1995 da Fundação Nacional do Índio (Funai). Mais informações sobre o programa de pós-graduação em Biotecnologia pelo telefone (67) 3312-3768.

MAIS NOTÍCIAS