NOTÍCIAS

Empreendedorismo, aspectos culturais e júri simulado foram temas das mesas-redondas no período noturno

25 de Outubro de 2018 08:00

A quinta edição do Congresso Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão Saberes em Ação, promoveu na quarta-feira (24) a noite, três mesas-redondas simultâneas, que abordaram como temas: “Aprender a empreender: O desenvolvimento de profissionais para o futuro”, “Sujeitos culturais, PSI e Conectados na Universidade” e “O júri de Raskolnikov: A importância pedagógica da literatura clássica para a compressão multidisciplinar do ser humano”.

No auditório do bloco A, a proposta do debate foi discutir sobre o empreendedorismo na universidade, identificando planos de negócios e uma maneira de oferecer serviços a população. “Temos que preparar os estudantes a empreender, portanto, estamos dispostos a passar nossos conhecimentos, agora, no período da graduação”, esclareceu o consultor e professor na área de psicologia organizacional, Me. Renatto César Marcondes.

O tema tratado no auditório do bloco B foi “Sujeitos culturais, PSI e Conectados na universidade”. Participaram da mesa-redonda as professoras,  Dra. Flavinês Rebolo e a Dra. Maria Cristina Lima Paniago, e o professor, Dr. José Licínio Backes. Flavianês expôs reflexão sobre o sujeito psicológico da contemporaneidade. “Por sermos seres humanos e super determinados, hoje em dia, são discutidas duas questões, que são elas: o mal-estar e a felicidade. A forma em que as pessoas buscam a felicidade, torna-se um objetivo único. Porém, por outro lado, mostra o quanto estão adoecendo. Deste modo, trouxemos para os acadêmicos experiências e vivências sobre o assunto abordado“, pontuou a docente.

Já os acadêmicos do curso de Direito da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) juntamente com os estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR) realizaram no auditório do bloco C o “Júri de Raskolnikov”, em que o objetivo do júri simulado, foi o caso do personagem principal Raskolnikov do livro “Crime e Castigo”, do escritor Fíodor Dostoiévski. No qual, teria cometido dois assassinatos que foram submetidos a julgamento. Portanto, os alunos da Católica representaram a acusação e os da PUC, a defesa.

Para Camila Moura, acadêmica do 10° semestre do curso de Direito, o intuito do debate foi fazer uma encenação para estimular os acadêmicos da graduação. “A proposta foi instigar os alunos, trazendo uma amostra de como funciona a prática do júri e contudo, e que eles entendam a dinâmica do julgamento”.  

Texto sob a supervisão de Gilmar Hernandes

MAIS NOTÍCIAS