NOTÍCIAS

Futuros jornalistas participam de oficina sobre livro-reportagem com profissional da área

15 de Março de 2019 09:00

"Pesquisa Jornalística: a construção de narrativas para o livro-reportagem" foi o tema da oficina ministrada para acadêmicos de Jornalismo da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) na manhã desta quinta-feira (14). Em uma sala de aula no bloco B, os discentes puderam aprender de forma descontraída por meio de um bate-papo com o profissional da área Iago Porfírio, autor da obra “Deus foi dormir: histórias de vida da favela Cidade de Deus” e organizador de “Estação Clarinda”.

Mestrando na área de comunicação, o jornalista trouxe para os acadêmicos elementos importantes do jornalismo literário e os processos metodológicos de investigação jornalística. Também durante o encontro, expôs técnicas para a elaboração de um livro-reportagem, como a entrevista de profundidade, e apontou a produção deste tipo de obra como uma alternativa de atuação profissional na área.

Segundo a coordenadora do curso de Jornalismo, Me. Inara Souza da Silva, a oficina veio para atender o interesse dos próprios alunos, que muitas vezes optam pela produção do livro-reportagem como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Ela pontuou que o encontro possibilitou o aprendizado de processos diferentes daqueles previstos para produção de uma notícia cotidiana.

“Foi bacana para os acadêmicos terem a noção de que o Jornalismo vai além e que eles podem atuar como um repórter de documentação e investigação, além de desenvolver um trabalho mais autônomo, com dedicação e parcimônia sem a pressão que os veículos de comunicação diários trazem”, comentou Inara.

Além dos próprios acadêmicos do curso, a oficina também atraiu jornalistas egressos da UCDB como é o caso de Ellen Prudente. Pelo interesse profissional que possui no tema, ela apostou no evento como uma maneira de aprender mais e se atualizar. “A oficina foi muito rica, pois pudemos conhecer mais a fundo sobre o desenvolvimento de um livro-reportagem. Desde o começo da Universidade sempre fui muito apaixonada pelo jornalismo literário, algo muito presente no trabalho do Iago, e com essa experiência pude pensar em uma maneira de melhorar meu texto neste gênero”, concluiu Ellen.

 

MAIS NOTÍCIAS