NOTÍCIAS

Mestranda aborda estudos fitoquímicos e metabolômicos de extratos de araruta, utilizando-os também como inseticidas botânicos

12 de Julho de 2021 07:28

O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), realizou na sexta-feira (9), por meio de videoconferência, a defesa de dissertação da mestranda Renata do Nascimento Santos, com o tema “Perfil Fitoquímico e Atividade Inseticida é de Extratos de Araruta (Maranta arundinacea L.)”, sob a orientação do professor Dr. Reginaldo Brito da Costa e coorientação do professor Dr. Vitor Hugo dos Santos Brito.

“O objetivo da pesquisa é realizar estudos fitoquímicos e metabolômicos do acesso comum de araruta ‘Maranta arundinacea L.’, na perspectiva de obtenção de produtos e processos biotecnológicos contra a Spodoptera frugiperda e Aedes aegypti, utilizando os extratos da planta, como inseticida botânico”, conta a mestranda.

Ela reforça que os resultados obtidos indicam a presença de compostos que afetam a dinâmica alimentar, tanto de S. frugiperda como de A. aegypti, o que pode estar associado a um ou mais dos componentes fitoquímicos identificados nos extratos de araruta. “A utilização dos extratos contra S. frugiperda, provocou mortalidade larval e infertilidade de ovos na lagarta, enquanto em A. aegypti interferiu diretamente no ciclo de vida, cessando o seu desenvolvimento fisiológico”,explica.

Além disso, os resultados positivos quanto à toxicidade e eficácia inseticida abrem possibilidades para estudos mais complexos sobre os mecanismos de ação dos constituintes ácido clorogênico, ácido rosmarínico, rutina e quercetina identificados nos extratos das hastes e folhas de araruta. “Esse tipo de estudo estimula e valoriza a produção de culturas negligenciadas como a araruta, diversificando as possibilidades de usos da espécie. A comprovação de atividade inseticida em extratos vegetais, também impulsiona as pesquisas nesta área, incrementando o número de produtos naturais que controlam pragas e vetores, fornecendo ainda, subsídio para a síntese de moléculas ativas e diminuindo também, o uso de fitossanitários sintéticos”, completa.

Além do orientador, a banca examinadora foi composta pelos professores Dra. Karla Rejane de Andrade Porto (Facsul) e Dr. Eduardo Barreto Aguiar (Uniderp). Mais informações sobre a pós-graduação pelo telefone (67) 3312-3702. 

MAIS NOTÍCIAS