NOTÍCIAS

ONG mundial de proteção animal visita Biotério da UCDB

22 de Setembro de 2021 11:05

O Biotério da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) recebeu a visita de integrantes da Organização Não Governamental (ONG) Proteção Animal Mundial (Word Animal Protection) para conhecer um pouco do trabalho e das ações realizadas, como as do Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal (Gretap/MS), liderado pela Católica, Instituto Homem Pantaneiro (IHP), pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) e pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

Criada há mais de 60 anos na Inglaterra, a ONG Proteção Animal Mundial trabalha na proteção de animais de fazenda e animais silvestres. “Viemos conhecer um pouco o trabalho de vocês. Vejo que estão caminhando bem e que bom que estão priorizando a parte ética. A nossa ONG tem como objetivo compreender as atividades produtivas e verificar o impacto causado aos animais silvestres. Saber como a gente pode fazer política pública, identificar a atitude dos consumidores”, explica o médico veterinário da Ong em Costa Rica, Roberto Vieto.

A equipe da ONG embarca hoje para Corumbá, onde vão acompanhar uma das visitas de monitoramento, liderada pela Bióloga e Médica Veterinária, professora Paula Helena Santa Rita, juntamente com a Médica Veterinária, Mariana Queiróz, e do supervisor administrativo da S-Inova, Vinícius Lugo Samudio. “Estamos indo para a Serra do Amolar em visita de monitoramento da área e também verificar se há demanda, visto que há registro de focos de incêndios”, explica.

A professora destaca que a visita da ONG estreita ainda mais as parcerias que estão surgindo, como a criação do Centro de Atendimento Veterinário na Serra do Amolar. “Futuramente será um espaço importante aos animais resgatados nos incêndios, como também ponto para estágio de nossos acadêmicos e a realização de pesquisas.

Além da UCDB, Semagro e CRMV, também fazem parte do Gretap o Imasul, Instituto Tamanduá e com a participação de mais quatro entidades (Ibama, Fundação Municipal do Meio Ambiente de Corumbá, UFMS e PMA).

MAIS NOTÍCIAS