NOTÍCIAS

Pesquisa aborda resgate na construção da identidade de crianças em acolhimento institucional

29 de Junho de 2021 10:55

O Programa de Pós-Graduação em Psicologia mestrado e doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) realizou nesta segunda-feira (28), por videoconferência, a banca de defesa da dissertação da mestranda Ana Paula Torres Lageano, com a tema “A contribuição do projeto minha história, minha vida na construção da identidade de crianças e adolescentes em acolhimento institucional”. A pesquisa contou com a orientação da professora Dra. Sonia Grubits.

“A pesquisa tem como objetivo principal investigar se um projeto social que ocorre em casas de acolhimento em Campo Grande, acaba contribuindo na construção da identidade de crianças/adolescentes. Esse projeto chama-se Minha História, Minha Vida, é supervisionado pela coordenadoria da infância e da juventude do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e consiste na elaboração de um álbum lúdico, que contém não apenas fotos, mas também desenhos e escritos, que registram os momentos vividos no acolhimento, sonhos e aspirações para o futuro”, explica a mestranda.

Ela conta que esse projeto surgiu, a partir da percepção de que essas pessoas em desenvolvimento, ao saírem das unidades acolhedoras, muitas vezes sem ao menos uma foto, ficavam com lacunas na sua própria história de vida. “A pesquisa beneficia não só na construção e fortificação da identidade, como também favorece o desenvolvimento biopsicossocial, serve como importante fonte de registro para a família, seja biológica ou adotiva, que pode por meio do álbum, acompanhar o desenvolvimento da criança/adolescente durante o tempo vivido no acolhimento, além de impactar positivamente no voluntário que participa do projeto, o tornando mais humano e empático com a realidade social ao seu redor”, completa. 

Além da orientadora, a banca examinadora foi composta pelas professoras Dra. Heloisa Bruna Grubits (UCDB) e Dra.  Kátia Regina Bazzano da Silva Rosi (UFMS). Mais informações sobre o programa pelo telefone (67)  3312-3605.

MAIS NOTÍCIAS