NOTÍCIAS

Pesquisador da UCDB desenvolve robô para limpeza de painéis solares em usinas fotovoltaicas

28 de Julho de 2020 09:00

Célio Gianelli Pinheiro desenvolveu, por meio do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), um robô voltado para a limpeza de painéis solares em usinas fotovoltaicas. A criação do projeto e o processo de fabricação do produto foram apresentados à banca avaliadora, nessa segunda-feira (27), por videoconferência. O trabalho foi desenvolvido sob a orientação do professor Dr. Marco Hiroshi Naka.

De acordo com Célio, quando se fala em geração fotovoltaica, estima-se uma perda de 9 a 14% de energia por conta dos resíduos que se depositam nos painéis com o passar do tempo de uso. Este tipo de sujidade, varia de acordo com a região, e o robô feito pelo pesquisador foi desenvolvido, especificamente, para ser usado em usinas de Mato Grosso do Sul e Bahia.

Para Célio, um dos principais desafios foi fazer com que a nova tecnologia pudesse ser utilizada em diversos tipos de plantas fotovoltaicas. “As usinas fotovoltaicas não são projetadas para que, no futuro, seja utilizado um dispositivo autônomo para realização de limpeza, por isso não existe uma preocupação em manter os painéis bem alinhados e planos, por exemplo. Nesse contexto, a maior dificuldade foi projetar um robô com mecanismos que não fossem afetados por essas imperfeições que ocorrem no momento da instalação e montagem dos painéis”, esclareceu o mestre formado pela Católica.

O produto feito por Célio está em processo de patente e integra a iniciativa Solar 2 — um projeto que envolve pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) e Instituto Federal da Bahia (IFBA), com a proposta de desenvolver uma solução que evite, de maneira inteligente, a perda de energia causada pela sujidade nos painéis solares. Além da criação do robô, faz parte do estudo o desenvolvimento de um sistema que vai receber informações de uma estação meteorológica e dados da geração de energia vindos do painel fotovoltaico e, a partir, desse levantamento identificar se é necessário, ou não, o acionamento do robô.

Segundo Célio, o Solar 2 vem para resolver um gargalo. “A maioria dos robôs, existentes no mercado, fazem a limpeza dos painéis de maneira periódica, com um intervalo pré-estabelecido entre os procedimentos. Já o nosso equipamento, foi desenvolvido para realização de uma limpeza inteligente, ou seja, o robô vai ser acionado quando o sistema identificar que as perdas da geração fotovoltaica por sujidade ultrapassam o gasto de recursos utilizados pelo robô durante a limpeza”, pontuou o pesquisador.

MAIS NOTÍCIAS