NOTÍCIAS

Plano de manejo da bacia do córrego Ceroula é apresentada em audiência pública

21 de Dezembro de 2020 08:37

O plano de manejo da bacia do córrego Ceroula realizado pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), por intermédio da Agência de Inovação e Empreendedorismo da UCDB (S-Inova), juntamente com a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb) foi apresentado de forma on-line na sexta-feira (18), na presença de integrantes dos dois parceiros e aberto para a população.

O relatório final levou quase dois anos para ficar pronto, envolvendo professores, acadêmicos da UCDB e técnicos do Planurb que trabalharam no mapeamento da situação ambiental, econômica, social e as potencialidades da região. “O plano de manejo é um documento técnico, que estabelece normas que devem presidir o uso sustentável dos recursos naturais da Área de Proteção Ambiental da Bacia do Córrego Ceroula, levando em consideração aspectos bióticos, abióticos e socioeconômicos”, destacou o professor Guilherme Cavazzana durante apresentação.

Ao todo foram realizadas 11 etapas neste período, com reuniões, coleta e análise de informações, reconhecimento de campo, oficina de planejamento, até a apresentação do relatório final. Foram entrevistados 427 famílias das sete comunidades que fazem parte (Aguão, Conquista, Sucuri, Só Alegria, Beleza Pura, Vale do Sol e Santa Cruz do Pontal). “Identificamos que a maioria são proprietários de pequenas áreas, totalizando 157, seguido de trabalhadores rurais avulsos, somando 29. Já as produções locais mais encontradas são cítricos, criação de galinha, leite, frutas, criação de porcos, de gado, grãos, horta e mandioca.Para a maioria dos entrevistados [97] a região está conservada, para 55 entrevistados o local está se degradando, outras 24 reforçam que existem áreas naturais conservadas e 18 consideram muito degradadas. Os locais mais visitados são, Morro do Ernesto, Ceuzinho e Inferninho”, apontam os dados do relatório final apresentado pelo professor Dr. Denilson de Oliveira Guilherme.   

A diretora-presidente da Planurb, Berenice Maria Jacob Domingues, ressaltou a importância do plano realizado para nortear os programas desenvolvidos. “Estamos fazendo um pouco daquilo que podemos para que essa área seja muito bem utilizada e possamos preservar para as futuras gerações”.

MAIS NOTÍCIAS