NOTÍCIAS

Projeto apoiado pela UCDB é premiado pela iniciativa de ressocialização de presidiárias

26 de Outubro de 2022 13:06

O Projeto Aurora de Ressocialização, uma parceria do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen/MS), Escritório Social, Secretaria Municipal de Assistência Social, Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat), Subsecretaria Municipal de Políticas para Mulheres e do Laboratório de Saúde Mental e Qualidade de Vida no Trabalho do Programa de Pós-Graduação de mestrado e doutorado em Psicologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), liderado pela professora dra. Liliana Guimarães, garantiu ontem (25) a primeira colocação na categoria Inovação Social da terceira edição do Prêmio de Inovação Judiciário Exponencial.

Conforme os organizadores, a premiação que contou com sete categorias, tem como forma de reconhecer e incentivar as iniciativas e projetos inovadores de tecnologia, de gestão e de projetos de inovação de Instituições do Ecossistema de Justiça. “Nós nos sentimos gratificados com o reconhecimento que vem por meio desse prêmio, pois a Universidade cumpre seu papel de contribuir efetivamente para uma sociedade mais justa, saudável e produtiva”, destacou a professora.

Iniciado em outubro do ano passado, o Projeto Aurora de Ressocialização, idealizado pela promotora de Justiça Jiskia Sandri Trentin pela 50ª Promotoria de Justiça do MPMS, incluindo a UCDB como parceira, atende internas do Estabelecimento Penal Feminino de Regime Semiaberto, Aberto e Assistência à Albergada de Campo Grande.

O Projeto monitora a evolução do cumprimento da pena de internas e a reinserção social em condições propícias para uma verdadeira ressocialização. “Durante aproximadamente um ano, a nossa equipe de psicólogas, trabalhou com psicoterapia de grupo com as readaptandas, enfocando questões do passado, para que as mesmas pudessem fazer frente ao presente e ao futuro, em outra perspectiva”, destacou a professora Liliana. 

Ela destaca ainda que a UCDB teve um papel crucial neste trabalho. “Fornecemos todo o acompanhamento psicossocial  grupal e também individual para que se chegasse a esse resultado. Pesquisa de acompanhamento sobre a manutenção ou não dos resultados também está sendo realizada pela UCDB e a segunda versão do projeto está para iniciar”, finalizou. 

 

MAIS NOTÍCIAS